Beach Class Magazine


Delicado e expressivo: há 500 anos o Ballet encanta a dança

Voltar Por Camila Cesar

O Ballet é uma forma de expressão de arte milenar, encantador para quem assiste e para quem performa. Conhecido pela sua delicadeza, esse estilo de dança que surgiu por volta do século XV continua com a sua popularidade em alta. As bailarinas estão por todos os lados, até mesmo fora dos palcos, em programas de TV e videoclipes.

 

O primórdio do Ballet foi na Itália, surgiu como uma diversão para a nobreza do século XVI. Mas foi na França, na época do reinado de Luiz XIV, que a dança foi aperfeiçoada. Outros países também foram responsáveis pela popularização do Ballet, a Inglaterra e a Rússia.

 

Foto: Reprodução Pinterest



Em 1813 a dança apareceu pela primeira vez no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro. Porém, somente um século depois o interesse pelo estilo permaneceu, e desde então o Brasil segue se destacando em competições internacionais.

 

Foto: Reprodução Pinterest

 

A cultura de fazer Ballet muito cedo é popular entre as meninas. A Claudia Catharine que é da região da baixada santista, participa como bailarina do Quadro Ding Dong no Domingão do Faustão, Claudia tem 21 anos e começou a dançar aos 10 anos de idade “Desde pequena, assistia programas da TV e ali já admirava o elenco de bailarinas dançando e dizia que um dia estaria lá.”, conta.

 

Bailarina Claudia nos estúdios da Rede Globo

Foto: Divulgação/Facebook Claudia Catharine

 

Mesmo sendo um esporte considerado delicado, esse estilo de dança requer muito esforço. Existe um preparamento físico por trás de cada aula, que exigem um certo potencial físico e motor. A prática melhora a postura, fortalece os músculos e funciona como terapia.

 

Para Claudia Catharine, apesar da correria, o Ballet é mais que um simples estilo “A dança é um presente de Deus na minha vida, uma forma de eu me expressar através da arte, com alegria e muito amor!”, declara.

 

WhatsApp Image 2017-08-08 at 13.14.43.jpeg

Claudia Catharine demonstrando sua arte

Foto: Adriano Dias Fotografia Criativa

 

Apesar de ser um meio competitivo, a bailarina Claudia segue feliz com a sua vida profissionalGraças a Deus estou amando cada experiência que venho tendo, a cada musical aprendendo mais, assim me realizando e procurando me superar e sempre querendo mais.” , finaliza.


 

Gostou? Veja o que separamos para você:

Aquarismo: uma arte milenar completamente submersa

O nascimento de um novo ritmo no século XX

Golfista mundialmente conhecidos fazem história na Costa da Flórida