Beach Class Magazine


Por que ser a favor dos edifícios de madeira?

Voltar Por Ana Júlia Luz

Muitos consideram casas de madeira seguras, aconchegantes e acolhedoras. Mas, e quanto aos edifícios? Enquanto o Brasil não dispõe de empreendimentos desse tipo, países como Estados Unidos, Canadá e Noruega contam com edifícios de até 30 andares. Especialistas e entusiastas no assunto afirmam que seria possível reconstruir os 110 andares do Empire State Builing em madeira.

 

 

Por que optar por esse tipo de material? Além da beleza visual e características como isolamento térmico, o que muita gente não sabe, é que enquanto o concreto e aço liberam CO2 em sua produção (para cada 10 kg de cimento concretado, de 6 a 9 kg de gases são liberados), a madeira, por sua vez, retém o carbono armazenado, mantendo-o fora da atmosfera durante a vida útil da estrutura.



 

ConstruçãoMadeira.jpg

 

Em relação à segurança, especialistas afirmam que produtos estruturais de madeira, ou de massa de madeira, como o CLT (cross-laminated timber) possuem resistência inerente ao fogo. Além disso, painéis de madeira podem eliminar os espaços vazios entre paredes e pisos onde o fogo tende a se espalhar facilmente, tornando-o mais resistente que outros tipos de materiais e métodos de construção.

 

edificiomadeira.png

 

O Mestre em Engenharia Leandro Zabeu, professor da disciplina de Estrutura de Madeira e Metálica do curso de Engenharia Civil da Unimonte, afirma que do ponto de vista econômico também há vantagens. “É uma estrutura mais leve que o concreto, por isso, as fundações são mais econômicas. Apesar disso, culturalmente, não é comum a construção em madeira, pois geralmente a tipologia da estrutura é escolha dos arquitetos, que têm preferência quase que 100% para estrutura de concreto ou metálica”, comenta.

 

Tamediamadeira.jpg

 

De onde vem a madeira? Alguns países incentivam, regulamentam e propiciam o uso inteligente desse material, através do manejo das espécies nativas e investimento nas madeiras reflorestadas. Reflorestamentos produzem madeira apta tecnologicamente a substituírem as madeiras oriundas das florestas tropicais nativas, ou seja, além de sequestradoras de carbono em grande escala, as madeiras de reflorestamento contribuem com a conservação das matas tropicais nativas.

 

Apesar de todas essas vantagens, infelizmente, no Brasil ainda não existem programas e incentivos desse tipo. “Executar um edifício de madeira no Brasil seria um grande desafio por falta de mão de obra e também escassez do material”, conclui o professor.

 

Fotos: Michael Green Architecture / Shigeru Ban Architects